FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

FELICIDADES !!!

Paisagens Arquitetônicas Contemporâneas: Normas Ortogonais e Sistemas Curvos

A exposição "Paisagens Arquitetônicas Contemporâneas: Normas Ortogonais e Sistemas Curvos" apresenta uma abordagem disciplinar, ao mesmo tempo criativa, sobre o conhecimento e defesa de algumas difíceis relações que a paisagem e a arquitetura têm mantido ao longo da história. 
A partir de bases conceituais do pesquisador e professor Ramón Rodríguez Llera, da Universidade Valhadolide, na Espanha, foram investigadas as poéticas que envolvem as tramas do tecido urbano, a plasticidade da arquitetura e os deleites da paisagem.
Formas de acesso:
Gratuito
Público
Público Geral
Quando:
De 28 de novembro a 03 de abril de 2016, de terça a domingo, das 09h às 18h.
Endereço:Avenida Otacílio Negrão de Lima, 751
Bairro: Pampulha
Telefone:
3277-7443
E-mail:
cb.fmc@pbh.gov.br

SELEÇÃO DA MOSTRA AURORA 2016 EXIBE SETE LONGAS INÉDITOS E VALORIZA A INVENÇÃO DE FORMAS



A 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes apresenta filmes inéditos de realizadores em início de carreira, em produções de quatro estados que disputam o título de melhor filme a ser eleito pelo Júri da Crítica e apresentam o vigor da produção brasileira independente

Mostra Aurora, dedicada à exibição de longas inéditos de realizadores em início de carreira é uma das seleções mais aguardadas da19ª Mostra de Cinema de Tiradentes, que este ano acontece entre os dias 22 e 30 de janeiro. A Aurora, em sua nona edição, mantém o perfil de apostar em filmes de invenção e experimentação da produção contemporânea brasileira, exibindo títulos de realizadores com no máximo três longas-metragens no currículo. Eles são avaliados pelo Júri da Crítica e concorrem ao Troféu Barrocoe a prêmios de parceiros do evento.

Na 19ª edição do evento na cidade histórica mineira, a Aurora exibirá sete filmes inéditos de quatro Estados do país: “Animal Político”(PE), de Tião; “Aracati” (RJ), de Aline Portugal e Julia De Simone (RJ); “Banco Imobiliário” (SP), de Miguel Antunes Ramos;“Filme de Aborto” (SP), de Lincoln Péricles“Índios Zoró – Antes, Agora e Depois?” (PE), de Luiz Paulino dos Santos“Jovens Infelizes ou Um Homem que Grita não é um Urso que Dança” (SP), de Thiago B. Mendonça; e “TaegoAwa” (GO), de Marcela Borela e Henrique Borela.

A seleção, a cargo do curador Cléber Eduardo e do curador assistente Francis Vogner dos Reis, foi feita a partir de 59 filmes inscritos para seleção com perfil e requisitos para a Aurora, o que mostra a solidificação da mostra e o constante interesse de cineastas e público por uma produção de risco e de criação plena. “Em linhas muitos gerais, são filmes de reação e de reflexo, tendo o mundo contemporâneo como motivador”, destaca Cléber, relacionando as escolhas à temática central da 19ª edição da Mostra Tiradentes definida Espaços em Conflito no cinema brasileiro. “Essa reação pode vir por meio da fuga do mundo urbano e tecnológico, da beleza da natureza ou da crítica à sua ameaça. Esses universos, rompidos com nossa atualidade metropolitana e cosmopolita, artificiosa e virtual, parecem estimular os realizadores a olharem para outros modos de existência, de funcionamento e de problemas sociais/políticos”.

Nesses embates, destacam-se os universos urbanos, nos quais, a cada filme, diferem-se os segmentos sociais abordados. “O espírito é critico em todos deles, sempre problematizador,sem o modo e sem a moda de afetividades e negociações entre as diferenças. As problematizações podem estar presentes num filme situado na vida de moradores de periferias amplas, num filme sobre mercado imobiliário em São Paulo, numa vaca em crise com o vazio burguês urbano de seu entorno e num grupo de teatro as voltas com perrengues e potências. Os tons diferem entre uns e outros, mas o conjunto estabelece uma linha de conflitos e de convergências, mesmo quando se opõem”, enumera o curador, já provocando algumas apreensões aos filmes da mostra.

Uma das presenças aguardadas da Aurora 2016 é a de Luiz Paulino dos Santos, lendário cineasta baiano que, aos 83 anos, exibirá seu terceiro longa-metragem como diretor, Índios Zoró – Antes, Agora e Depois?”. Paulino foi diretor de primeira hora de “Barravento” (1961), que viria a se tornar o primeiro longa de Glauber Rocha, e esteve presente em diversos projetos ao longo das últimas décadas, como ator, consultor ou mesmo inspiração a várias gerações. Sua presença na Aurora, tão caracterizada pela invenção de novas formas, atesta a pluralidade do recorte e a preocupação constante com o risco e a experimentação.

Como em todos os anos, os filmes da Mostra Aurora são avaliados pelo Júri da Crítica, composto de cinco profissionais do pensamento acadêmico e crítico cinematográfico. Na 19ª edição da Mostra de Tiradentes, o Júri da Crítica será formado pela professora e pesquisadora da UFPE, Angela Prysthon (PE); pelo professor e pesquisador da Universidade Federal de São CarlosArthur Autran(SP); pelo crítico e pesquisador, Carlos Alberto Mattos (RJ); pelo crítico Marcelo Ikeda (PE); e pelo jornalista Paulo Henrique Silva(MG). 

 CONFIRA OS FILMES SELECIONADOS PARA A MOSTRA AURORA 2016
ANIMAL POLÍTICO
FICÇÃO, COR, DCP, 75MIN, PE, 2016
Direção: Tião
Uma vaca tenta se convencer de que é feliz. Ela vive entre as pessoas e tem uma vida vazia e consumista. Numa noite, véspera de natal, a vaca confronta-se com uma sensação estranha de vazio, algo forte que ela nunca havia vivido. Essa crise a faz começar uma jornada por iluminação, em busca do seu verdadeiro eu. O vazio é um novo território para a sua alma.

ARACATI
DOCUMENTÁRIO, COR, DCP, 62MIN, RJ, 2015
Direção: Aline Portugal e Julia De Simone
Vale do Jaguaribe, Ceará. Seguindo a rota do vento Aracati, o filme parte do litoral e adentra pelo interior do estado. Nesse percurso, observa a relação entre homem e paisagem, as transformações do espaço e os limites entre natureza e artifício.

BANCO IMOBILIÁRIO
DOCUMENTÁRIO, COR, DIGITAL, 75MIN, SP, 2015
Direção: Miguel Antunes Ramos
Brian caminha por seu bairro de infância, procurando novas áreas para uma incorporação imobiliária. Romeo, em seu escritório envidraçado, desenha uma estratégia de marketing. Carla planeja seus novos investimentos vendo a cidade do alto. Um jogo de tabuleiro. Uma imagem de futuro. Um projeto de cidade.

FILME DE ABORTO
DOCUMENTÁRIO, COR, DIGITAL, 63MIN22, SP, 2016
Direção: Lincoln Péricles
Proletária e proletário refletem sobre seus trabalhos e lidam com uma impossível gravidez.

ÍNDIOS ZORÓ – ANTES, AGORA E DEPOIS?
DOCUMENTÁRIO, COR, DCP, 70MIN, PE, 2015
Direção: Luiz Paulino dos Santos
Em 1982, Luiz Paulino dos Santos realizou o curta documental Ikatena? Vamos Caçar (registro poético do Povo Zoró). 30 anos depois ele retorna e reencontra os Zoró, agora evangelizados.

JOVENS INFELIZES OU UM HOMEM QUE GRITA NÃO É UM URSO QUE DANÇA
FICÇÃO, P&B, DCP, 125MIN, SP, 2016
Direção: Thiago B. Mendonça
Pra começar de novo é preciso destruir.

TAEGO AWA
DOCUMENTÁRIO, COR, DCP, 70MIN, GO, 2016
Direção: Marcela Borela e Henrique Borela
Cinco fitas VHS encontradas na antiga Faculdade de Comunicação da UFG disparam o desejo desse filme. Anos depois, munidos de mais imagens fotográficas e audiovisuais vamos ao encontro dos Ãwa, levar essas imagens para serem vistas, e discutir a possibilidade de um filme ser feito. Mais imagens surgem desse encontro.

***
A cidade de Tiradentes, localizada a 180km de BH e com apenas 7 mil habitantes, recebe durante a Mostra Tiradentes toda infraestrutura necessária para sediar uma programação cultural abrangente e gratuita, que reúne todas as manifestações da arte. São instaladostrês espaços de exibição: o Cine BNDES na Praça, no Largo das Fôrras (espaço para mais de 1.000 espectadores); o Complexo de Tendas, que sedia a instalação do Cine-Tenda (com 600 lugares), e o Cine-Teatro (com plateia de 120 lugares), que funciona no Sesi TiradentesCentro Cultural Yves Alves – sede do evento.

Toda programação é oferecida gratuitamente ao público. 

81 CURTAS-METRAGENS DE 12 ESTADOS BRASILEIROS SÃO SELECIONADOS PARA EXIBIÇÃO NA 19ª MOSTRA TIRADENTES


Filmes se dividem em nove mostras e apresentam a diversidade e ousadia do formato no país
Espaço de descobertas, inovações e tendências do cinema brasileiro, a programação de curtas-metragens da  Mostra de Cinema de Tiradentes segue como um dos principais eixos da programação. A 19ª edição do evento exibirá 81 filmes de curta duração, vindos de 12 Estados do país e divididos em nove seções temáticas. A edição 2016 da Mostra acontece na cidade histórica mineira entre os dias 22 e 30 de janeiro, com exibições gratuitas nos três espaços instalados para o evento: Cine BNDES na Praça (Largo das Fôrras), Cine-Tenda (Largo da Rodoviária) e Cine-Teatro (Sesi Tiradentes - Centro Cultural Yves Alves).

Os curtas foram selecionados pela equipe formada pelos curadores Cléber EduardoFrancis Vogner ePedro Maciel Guimarães, que analisaram centenas de inscritos para chegar à lista final. Há títulos do Ceará (1), Distrito Federal (1), Espírito Santo (1), Goiás (1), Mato Grosso do Sul (1), Minas Gerais (25), Paraíba (2), Pernambuco (4), Rio de Janeiro (13), Rio Grande do Sul (3), Santa Catarina (2) e São Paulo (27).

As seções nas quais os filmes vão ser exibidos são a Mostra Foco (9 curtas), a ser avaliada pelo júri da crítica; Panorama (19 curtas), Dissonâncias (4), Espaços em Conflito (7), Praça (12), Cena Mineira (5),Cena Regional (13), Formação (8) e Mostrinha (4).

Uma das novidades deste ano é a Mostra Espaços em Conflitos, que se relaciona diretamente com o tema central da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes e apresenta filmes que problematizam as relações de embate na sociedade brasileiro contemporânea, em termos sociais, econômicos e políticos. “São filmes que parecem reagir, temática e formalmente, e ainda não se sabe se momentaneamente ou se por prazo mais longo, a uma dinâmica de contemporaneidade cercada de brutalidades e crises de toda ordem, sempre com contundência”, diz Francis Vogner, um dos curadores de curtas.

Para Pedro Maciel, outro dos curadores, chama atenção este ano a duração mais longa de boa parte dos inscritos. “Primeiro reflexo disso é a diminuição dos curtas a serem apresentados, o que não é de todo negativo, pois a Panorama consegue ao mesmo tempo dar uma visão geral sobre a produção brasileira e elevar a qualidade dos filmes mostrados”, diz Pedro. E completa: “A tendência de outros anos que se confirma em 2016 é a mescla entre filmes de realizadores já consagrados, nos formatos de curtas e até longas, e filmes de diretores iniciantes, alguns ainda terminando o percurso acadêmico”.

Na Mostra Foco, a ser avaliado pelo júri da crítica e cujo ganhador leva o Troféu Barroco e prêmios de parceiros do festival para o incentivo a novas produções, os filmes oferecem propostas de experimentação e desafio à apreensão. “Temos, na Foco deste ano, 8 filmes inéditos, o que reafirma essa mostra como plataforma de lançamento de curtas brasileiros. Notamos ainda nestes trabalhos possíveis ensaios para longas-metragens, devido à forma desses filmes, da maturidade narrativa e também pela metragem”, diz Pedro Maciel.

RELAÇÃO DOS CURTAS SELECIONADOS EM ORDEM ALFABÉTICA

À PARTE DO INFERNO, de Raul Arthuso - SP (Mostra Espaços em conflito)
A SAÍDA DA FÁBRICA, de Lucas Florêncio Guerra - SP (Mostra Panorama)
A VEZ DE MATAR, A VEZ DE MORRER, de Giovani Barros - MS (Mostra Foco)
A VISITA, de Leandro Corinto - RJ (Mostra Praça)
AINDA ME SOBRA EU, de Taciano Valério - PE (Mostra Foco)
ANÊMONA, de Felipe Santo - SP (Mostra Formação)
AONDE VAI, ANA, de Cauã Dias Baptista - RJ (Mostra Formação)
AQUELES CINCO SEGUNDOS, de Felipe Saleme - MG (Mostra Dissonâncias)
ATÉ A CHINA, de Marão - RJ (Mostra Praça)
, de Leandro Tadashi - SP (Mostra Praça)
BILI COM LIMÃO VERDE NA MÃO, de Rafael Conde - MG (Mostra Cena mineira)
BOM DIA CARLOS, de Gurcius Gewdner - SC (Mostra Dissonâncias)
BORRA, de CARLOS SEGUNDO - MG (Mostra Panorama)
BREU, de Paulo Moraes - MG (Mostra Regional)
CABRITO, de Luciano de Azevedo - MG (Mostra Regional)
CAIU UM HOMEM ALI NO QUINTAL, de Ana Clara Nunes Roberti - MG (Mostra Regional)
CAMPANA, de Gian Orsini - PB (Mostra Panorama)
CHUTES, de Gustavo Vinagre - SP (Mostra Panorama)
CLARA E A LUA, de Beatriz Pomar - SP (Mostrinha)
COMO ERA GOSTOSO MEU CAFUÇU, de Rodrigo Almeida - PE (Mostra Panorama)
CONTRAPLANO, de Leonardo Good God - MG (Mostra Panorama)
CRONICAS DO MEU SILENCIO, de Beatriz Pessoa - SP (Mostra Formação)
CUMIEIRA, de DIEGO BENEVIDES - PB (Mostra Panorama)
DE PÁSSAROS E INFÂNCIA: MARIA, de Mariana de Lima Siqueira - GO (Mostrinha)
DISPENSA DOAMOR MECÂNICO, de Walter Fernandes Jr. - RJ (Mostra Panorama)
DOIS PÁSSAROS, de Fabio Andrade - RJ (Mostra Panorama)
ECLIPSE SOLAR, de Rodrigo de Oliveira - ES (Mostra Foco)
ELE OU ELA, de Otávio Neves e Samuel Gianasi - MG (Mostra Cena regional)
ELEGIA, de Mariana Costa - MG (Mostra Formação)
ENCONTRO DOS RIOS, de Renata Spitz - RJ (Mostra Foco)
ENQUADRO, de Lincoln Péricles - SP (Mostra Espaços em conflito)
ENTRE CASAS, de Luden Viana - SP (Mostra Espaços em conflito)
ENTRE IMAGENS - INTERVALOS, de Andre Fratti Costa e Reinaldo Cardenuto - SP (Mostra Foco)
EU VOU ME PIRATEAR, de Daniel Favaretto e Dudu Quintanilha - SP (Mostra Panorama)
FANTASIAS DE PAPEL, de Tetê Mattos - RJ (Mostra Praça)
FORT ACQUARIO, de Pedro Diógenes - CE (Mostra Espaços em conflito)
FOSSA, de Samuel Fortunato - MG (Mostra Regional)
HETERÔNIMO, de Vitor Medeiros - RJ (Mostra Panorama)
IMHOTEP, de Leo Pyrata - MG (Mostra Cena mineira)
LEMBRANÇAS DE MAYO, de Flávio C. von Sperling - MG (Mostra Panorama)
LEVANTE, de Jader Chahine e João Paulo Bocchi - SP (Mostra Foco)
LIBAÇÃO, de Luiz Cruz - SP (Mostra Dissonâncias)
LIGHTRAPPING, de Marcio Miranda Perez - SP (Mostra Foco)
LÚCIDA, de Fabio Rodrigo Aparecido dos Santos - SP (Mostra Panorama)
MADREPÉROLA, de Deise Hauenstein - RS (Mostra Praça)
MANCHA DE SANGUE NO PORCELANATO, de Fernanda Sales Rocha - SP (Mostra Formação)
MARLENE - HISTÓRIAS DE UM FORRÓ, de Jéssica Faria Ribeiro - MG (Mostra Regional)
MELANCIA, de Lário Ferreira - PE (Mostra Panorama)
NOITE ESCURA DE SÃO NUNCA, de Samuel Lobo - RJ (Mostra Foco)
O CASTELO, de Alexandre Wahrhaftig, Guilherme Giufrida, Helena Ungaretti, Miguel Antunes Ramos - SP (Mostra Espaços em conflito)
O EPITÁFIO DO ANDAR PERDIDO, de Rodrigo Maia e Welington Oliveira - MG (Mostra Regional)
O MELHOR SOM DO MUNDO, de Pedro Paulo de Andrade - SP (Mostrinha)
O QUEBRA CABEÇA DE TARIK, de Maria Leite - MG (Mostra Praça)
O ROSTO DA MULHER ENDIVIDADA, de Renato Sircilli e Rodrigo Batista - SP (Mostra Foco)
O ÚLTIMO VERSO, de Nicoly Pinto de Oliveira - MG (Mostra Regional)
ORQUESTRA INVISÍVEL LET'S DANCE, de Alice Riff - SP (Mostra Praça)
OS FILMES QUE MORAM EM MIM, de Caio Sales - PE (Mostra Dissonâncias)
OS INTRUSOS, de João Gabriel Villar - SP (Mostra Panorama)
OUTONO CELESTE, de Iuri Minfroy - RS (Mostra Praça)
PÉ SEM CHÃO, de Sérgio Ricardo - RJ (Mostra Espaços em conflito)
PONTA DO DRAGÃO, de Renan Blah - SC (Mostra Formação)
PRENOME WALTER, de Leonardo Amaral & Roberto Cotta - MG (Mostra Cena mineira)
QUINTAL, de André Novais Oliveira - MG (Mostra Panorama)
RESGUARDO, de Francisco Franco e Luiz Fernando Priamo - MG (Mostra Regional)
ROSINHA, de Gui Campos - DF (Mostra Praça)
ROUPA DE BAIXO, de Lara Dezan - SP (Mostra Praça)
RUA 36 - 36TH STREET, de Adriano Botti - MG (Mostra Regional)
SE ESSE FILME FOSSE MEU, de Beatriz Craveiro - SP (Mostra Praça)
SENHORA DO MONTE CARMELO, de Thiago Morandi - MG (Mostra Regional)
SOPRO, UIVO E ASSOBIO, de Bernard Lessa - RJ (Mostra Panorama)
TATAME, de Felipe Fernandes e Daniel Nolasco - RJ (Mostra Panorama)
TERRITÓRIO, de Iris Junges - SP (Mostra Espaços em conflito)
TIÃO PAINEIRA, 86 JANEIROS, de Thiago Morandi - MG (Mostra Regional)
UM POUCO A MAIS, de Aleques Eiterer - MG (Mostra Cena mineira)
UMA PAUSA PRA UM CAUSO E OUTRA PRO CAFÉ, de Altiere Leal - MG (Mostra Regional)
USP 7%, de Daniel Mello & Bruno Bocchini - SP (Mostra Praça)
VÊNUS, de Antonio Canto Porto - SP (Mostra Formação)
VENTO, de Betânia Furtado - RS (Mostrinha)
VERDE VIOLETA, de Rafaela Arrigoni - RJ (Mostra Panorama)
VESTIBULAR, de Toti Loureiro e Ruy Prado - SP (Mostra Formação)
VOLTA PARA CASA, de Rodrigo Molinsky - MG (Mostra Cena mineira)
***
A cidade de Tiradentes, localizada a 180km de BH e com apenas 7 mil habitantes, recebe durante a Mostra Tiradentes toda infra-estrutura necessária para sediar uma programação cultural abrangente e gratuita, que reúne todas as manifestações da arte. São instaladostrês espaços de exibição: o Cine BNDES na Praça, no Largo das Fôrras (espaço para mais de 1.000 espectadores); o Complexo de Tendas, que sedia a instalação do Cine-Tenda (com 600 lugares), e o Cine-Teatro (com platéia de 120 lugares), que funciona no Sesi TiradentesCentro Cultural Yves Alves – sede do evento.
Toda programação é oferecida gratuitamente ao público.

Espaço do Conhecimento UFMG oferece em janeiro ampla programação de férias

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Conferência sobre Modelagem Matemática e Controlo das Doenças Transmissíveis

Conferência sobre Modelagem Matemática e Controlo das Doenças Transmissíveis
A Conferência sobre Modelagem Matemática e Controlo das Doenças Transmissíveis será realizado de segunda a quinta-feira, 11-14 janeiro de 2016 da Fundação Getulio Vargas (FGV), Rio de Janeiro, Brasil.A Conferência terá lugar no edifício emblemático da FGV criado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, na Praia de Botafogo, na costa da Baía de Guanabara, no sopé do Pão de Açúcar. Mini-cursos será realizada na segunda-feira, 11 de janeiro e palestras e apresentações de pôsteres terá lugar a partir de Terça-feira 12 a quinta-feira 14. A conferência será seguida de eventos satélites na sexta-feira, 15 de janeiro, incluindo a reunião anual da Rede Brasileira de modelagem de Dengue.
Caracterizado pela sua ousadia e pioneirismo, a FGV é um centro de renome mundial para uma educação de qualidade dedicada a promover o desenvolvimento econômico e social do Brasil, classificado como uma das Top 25 Think Tanks e Top 100 instituições de ensino superior no mundo. IMPA, a pesquisa ea instituição de ensino amplamente considerado como o mais importante no Brasil na área de matemática Federal (através LAMCA, o Laboratório de análise e modelagem em ciências aplicadas); Fiocruz, a instituição mais proeminente da ciência e tecnologia em saúde na América Latina; Universidade Federal Fluminense, uma das quatro universidades públicas financiados pelo governo federal do Estado do Rio de Janeiro; e INRIA, o instituto de pesquisa francês dedicada às ciências computacionais, co-organizar a reunião.

Estão abertas as inscrições para a Residência do Polo Carioca de Circo- Circo Crescer e Viver

Os interessados podem optar por 4 temas diferentes, todos parte da cadeia produtiva do circo
As inscrições para a residência do Polo Carioca de Circo - Circo Crescer e Viver vão até o dia 9/01. Serão 4 residências distintas que dialogam com diferentes elos da cadeia produtiva do circo: Residência de capacitação em técnicas e habilidades circenses, Residência de modelagem de espetáculo, Residência de criação de número e performance circense e Residência de ensaios e montagem de espetáculo. Entre os critérios de seleção é obrigatório ser maior de 18 anos e residir na cidade o Rio de Janeiro. Mais informações no site
http://crescereviver.org.br/polo-carioca-de-circo/

A Residência do Polo Carioca de Circo - Circo Crescer e Viver é uma proposta artístico-cultural inovadora que busca investir recursos financeiros, materiais e humanos no desenvolvimento das novas gerações de artistas, coletivos, grupos e companhias de circo, oferecendo espaço-tempo de capacitação e treinamento; pesquisa e experimentação; criação, modelagem, montagem e apresentação de espetáculos circenses. Além de oferecer a artistas de outras linguagens capacitação e espaço para ensaio e montagem de seus espetáculos.

O Polo Carioca de Circo - Circo Crescer e Viver tem o patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, da Secretaria Municipal de Cultura, parceria da Archaos e Rio Criativo e Apoio do Sebrae-RJ. A realização é do Circo Crescer e Viver.
Sobre as Residências:

Capacitação em técnicas e habilidades circenses

Artistas de teatro, dança e demais linguagens interessados em desenvolver, qualificar e ampliar o seu repertório e vocabulário de habilidades nas áreas de acrobacia de solo, acrobacia aérea, equilibrismo e manipulação de objetos serão integrados às atividades formativas empreendidas no âmbito do Circo Crescer e Viver e terão treinamentos específicos orientados ao seu projeto de pesquisa/criação.

Modelagem de espetáculo

Grupo, coletivos e/ou cias de circo terão a sua disposição a oferta de serviços nas áreas de concepção e dramaturgia do espetáculo; direção cênica; direção de arte com produção de figurino, cenário, adereços e elementos de cena; composição coreográfica; direção musical com criação de trilha sonora original; light design; capacitação em gestão; e projeto de identidade visual e comunicação, à grupos e companhias circenses do Rio de Janeiro, visando a qualificação da sua produção criativa e do diálogo desta com o mercado de cultura, lazer e entretenimento.

Criação de número e performance circense

Artistas de circo terão espaço-tempo e acompanhamento de um profissional para pesquisa e experimentação de novas relações do artista de circo com o seu aparato e técnica visando a criação de novos números e performances.

Ensaios e montagem de espetáculo
Grupos, coletivos e/ou cias de dança, teatro e circo terão nas dependências do Circo Crescer e Viver e da sua infraestrutura espaço-tempo para realizarem treinamentos e ensaios com foco na montagem dos seus espetáculos.

SERVIÇO:
Inscrições Residência Polo Carioca de Circo- Circo Crescer e Viver
Até o dia 9/01.
Circo Crescer e Viver
Endereço: Rua Carmo Neto, nº 143 - Ao lado do Metrô da Praça Onze - Cidade Nova - Cidade Nova - Rio de Janeiro - RJ
Telefone: 3972-1391

Exposição Mata Atlântica - Ciência e Arte

INSCRIÇÕES ABERTAS E GRATUITAS PARA AS OFICINAS DA 19ª MOSTRA DE CINEMA DE TIRADENTES



São 280 vagas em 10 modalidades; inscrições vão até dia 7 de janeiro pelo site oficial do evento www.mostratiradentes.com.br


Estão abertas as inscrições para oficinas gratuitas de cinema da 19ª Mostra de Cinema de Tiradentes. Até o dia 7 de janeiro, os interessados devem preencher formulário disponível no site oficial do evento e aguardar o prazo de seleção. São 10 modalidades com 280 vagas no total, atendendo a públicos e interesses diversos. Como ocorre a cada ano, a Mostra Tiradentes aposta na formação e capacitação técnica para o mercado de cinema e oferece oportunidades para nova geração.

A tradicional oficina de “Realização em Curta Digital”, ou Oficina do Bigode (apelido do instrutor, o cineasta Luiz Carlos Lacerda), é uma das mais concorridas. Neste mini-curso, o aluno faz parte de uma equipe que tem a oportunidade de fazer um curta-metragem, aprendendo todas as etapas do processo. Pela Oficina do Bigode já passaram alunos que se tornaram cineastas bem-sucedidos, como o carioca Bruno Safadi. São 35 vagas, a partir de 18 anos.

Outras oficinas que tem o propósito de “colocar a mão na massa” no mundo do cinema são dos instrutores Di Moretti, Joel Pizzini e Beto Strada. O cineasta Joel Pizzini vai ministrar a oficina de “Conceitos e Práticas de filme-ensaio, uma abordagem em construção”; já Moretti vai ministrar a oficina de “Roteiro Avançado” que enfocará temas com exercícios práticos para a confecção de roteiros cinematográficos. Devido a grande demanda por  uma oficina técnica com enfoque no som para cinema, a Mostra, pela primeira vez, oferece a oficina “O som em Cena”, ministrada pelo músico e compositor Beto Strada, que vai  apresentar a música e suas técnicas de composição.
Para os interessados em interpretação a dica é a oficina “Ator, o espelho da cena”, com o instrutor Glauco Witenburg. O objetivo é apresentar e aplicar a atores e diretores profissionais ou iniciantes o método de análise ativa, ferramenta fundamental para o trabalho tanto no teatro, como no cinema e TV.

Duas oficinas estão mais voltadas para o mercado de cinema: “Produção Executiva - Gestão de projetos audiovisuais”, com o instrutor Edileis Ferreira Novais.

Para adolescentes e jovens a pedida é o curso de “Criação e Produção de GIFs Animados”, com Henrique Kopke, pensando o GIF como uma nova modalidade das imagens em movimento e sua relação com o cinema. Já para quem curte a prática de registrar fatos e imagens, a opção é a oficina “Jovem Repórter”, que será ministrada pelo Marcelo Cavalieri.

E a criançada que for curtir as férias na Mostra Tiradentes, além de participar das sessões de cinema, podem se inscrever em oficinas de cultura. Para a faixa etária de 10 a 14 anos, a opção é a oficina “Cinema e Artes Plásticas: Meu Super herói” que será ministrada pela artista plástica Daniela Penna.

RELAÇÃO DAS OFICINAS

Confira abaixo as oficinas que serão ministradas na 19ª Mostra Tiradentes

Público adulto
Realização em Curta Digital
Instrutor: Luiz Carlos Lacerda
Período: 23 a 29/01
Horário: 10h às 13h e 15h às 18h
Faixa Etária: Acima de 18 anos
Carga Horária: 42h
Número de Vagas: 35

Ator, o espelho da cena
Instrutor: Glauco Witenburg
Período: 23 a 27/01
Horário: 9h30 às 13h30
Faixa Etária: Acima de 18 anos
Carga Horária: 20h
Número de Vagas: 25

Produção Executiva - Gestão de projetos audiovisuais
Instrutor: Edileis Ferreira Novais
Período: 27 a 29/01
Horário: 14h às 18h
Faixa Etária: Acima de 18 anos
Carga Horária: 12h
Número de Vagas: 25

Dramaturgia Formal: As narrativas do filme-ensaio
Instrutor: Joel Pizzini
Período: 26 a 28/01
Horário: 10h às 13h30 e 15 às 18h
Faixa Etária: Acima de 18 anos
Carga Horária: 24h
Número de Vagas: 30

Roteiro Avançado
Instrutor: Di Moretti
Período: 27 a 29/01
Horário: 9h30 às 13h30
Faixa Etária: Acima de 18 anos
Carga Horária: 12h
Número de Vagas: 30

O Som em Cena
Instrutor: Beto Strada
Período: 26 a 29/01
Horário: 9h30 às 13h30
Faixa Etária: Acima de 18 anos
Carga Horária: 16h
Número de Vagas: 35


Público jovem

Criação e Produção de GIFs Animados
Instrutor: Henrique Kopke
Período: 26 a 29/01
Horário: 14h às 18h
Faixa Etária: 15 a 20 anos
Carga Horária: 16h
Número de Vagas: 35

Jovem Repórter
Instrutor: Marcelo de Castro Cavalieri
Período: 23 a 25/01
Horário: 14h às 18h
Faixa Etária: 12 a 15 anos
Carga Horária: 12h
Número de Vagas: 25

Cinema e Artes Plásticas: Meu Super herói
Instrutor: Daniella Penna
Período: 25 a 29/01
Horário: 14h às 18h
Faixa Etária: 10 a 14 anos
Carga Horária: 20h
Número de Vagas: 20

Por Trás da Câmera: Contando Estória
Instrutor: Anna Rosaura Trancoso e Bete Bulara
Período: 25 a 29/01
Horário: 13h às 18h
Faixa Etária: 14 a 18 anos
Carga Horária: 25h
Número de Vagas: 25

***
A cidade de Tiradentes, localizada a 180km de BH e com apenas 7 mil habitantes, recebe durante a Mostra Tiradentes toda infra-estrutura necessária para sediar uma programação cultural abrangente e gratuita, que reúne todas as manifestações da arte. São instalados três espaços de exibição: o Cine BNDES na Praça, no Largo das Fôrras (espaço para mais de 1.000 espectadores); o Complexo de Tendas, que sedia a instalação do Cine-Tenda (com 600 lugares), e o Cine-Teatro (com platéia de 120 lugares), que funciona no Centro Cultural Yves Alves Sesi Tiradentes, que é instalada na sede do evento.

Toda programação é oferecida gratuitamente ao público.