FOTOGRAFIAS

AS FOTOS DOS EVENTOS PODERÃO SER APRECIADAS NO FACEBOOCK DA REVISTA.
FACEBOOK: CULTURAE.CIDADANIA.1

UMA REVISTA SEM FINS LUCRATIVOS

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Rita e Roberto on the Rocks - Rita Lee e Roberto Carlos por Julia Branco e Marcelo Veronez

Exibindo IMG_9573 (2) (1).jpg

Rita e Roberto on the Rocks
Um espetáculo com os melhores rocks de Rita Lee e Roberto Carlos


Julia Branco e Marcelo Veronez se reúnem em show misto com repertório dos seus trabalhos 'Não sou nenhum Roberto' e 'Julia Branco Grita Lee'. A festa irá unir os dois shows e as duas bandas no mesmo palco, ao mesmo tempo, trazendo um novo espetáculo, em formato de duelo/encontro: “Rita e Roberto on the Rocks”!

“Julia Branco Grita Lee” é um projeto que nasceu a partir do desejo da cantora e atriz Julia Branco de mergulhar no universo forte, irreverente, colorido e inspirador que é o da Rita Lee. O objetivo nunca foi de fazer um cover, nem um resgate da obra dela. A vontade é de cantar algumas das músicas e de partilhar isso com o público. Dividir a voz, dividir o grito.

“Não sou nenhum Roberto”, de Marcelo Veronez, está há cinco anos na estrada. É feito em vários formatos, e diverte diferentes públicos de todas as idades. Atualmente, com o suporte de um power trio, traz uma releitura debochada, roqueira e sexual das músicas de Roberto e Erasmo Carlos e de outros compositores que gravitam em torno dos reis do iêiêiê.

            “Rita e Roberto on the Rocks” será ser uma noite vibrante e com um repertório pra lá de divertido. O público poderá se deliciar com as canções e, principalmente, com esse encontro do Rei e da Titia do Rock no palco. Rita e Roberto na mesma noite, já pensou? Não dá pra perder!

A noite também conta com a discotecagem do Dj Zubreu..


Ficha Técnica “Julia Branco Grita Lee”

Julia Branco – voz
Luiz Rocha – guitarra e vocais
Thiago Braga – baixo
Luisinho Vassalo – bateria

Ficha Técnica “Não sou nenhum Roberto”

Marcelo Veronez - voz
Rafael Madanelo - baixo e vocais
João Castro - guitarra e vocais
Saminho Batera - bateria


Serviço
"Rita e Roberto on The Rocks": Julia Branco e Marcelo Veronez
01/08 - Sexta-feira - 22hs
Ingressos Antecipados - R$30,00 www.sympla.com.br
Ou
Bilheteria do Granfinos: Av Brasil, 326, Santa Efigênia  - Aberta entre 14 e 19s de segunda a sábado.
Tel: 3241-6127
Censura: 18anos

Climatologia Aplicada ao Setor Elétrico


Pesquisa aborda o risco cardiovascular precoce

"As doenças cardiovasculares (DCV) apresentam surgimento cada vez mais precoce dos fatores de risco, tendo o excesso de peso como pilar para as alterações. Estudos apontam maior suscetibilidade para presença de excesso de peso e alterações metabólicas em crianças e adolescentes com história familiar (HF) para esses mesmos agravos. Assim, o conhecimento da HF de doenças e fatores de risco cardiovasculares é relevante, capaz de determinar maior ou menor sensibilidade às doenças." A constatação é do estudo da aluna do mestrado acadêmico em Saúde Pública e Meio Ambiente da ENSP Isabela dos Santos Souza. A pesquisa avaliou a influência da história familiar de doenças e fatores de riscos cardiovasculares selecionados, segundo grau de parentesco, no perfil de risco cardiovascular de crianças e adolescentes atendidas em um ambulatório de nutrição pediátrica do Rio de Janeiro.
 
A história familiar, segundo a aluna, pode ser usada como importante ferramenta na compreensão do risco a saúde de um indivíduo, podendo ser beneficiado com recomendações de mudanças no estilo de vida, já que os sujeitos de uma mesma família partilham genes, comportamentos, estilos de vida e ambientes que podem influenciar a sua saúde e no risco de doença. “É sabido que a expressão dos genes pode ser modificada por hábitos comportamentais. A nutrigenômica é um exemplo disso, pois estuda, ao longo do tempo, a influência da dieta na estrutura e expressão dos genes, favorecendo condições de saúde ou de doença”, explicou.
 
De acordo com a aluna, as doenças cardiovasculares apresentam fatores de risco em comum, entre as quais se destacam o tabagismo, consumo de bebida alcoólica, excesso de peso, inatividade física, dieta com elevado teor de gorduras saturadas, baixo consumo de frutas e hortaliças, hipertensão arterial, hipercolesterolemia, dislipidemia e estresse psicoemocional. “Estes fatores, também chamados de fatores de risco modificáveis, são considerados como os principais relacionados ao estilo de vida e apresentam grande impacto sobre o desencadeamento e o prognóstico destas doenças”, apontou Isabela.
 
O estudo da aluna foi realizado em uma população ambulatorial de crianças e adolescentes atendidas no setor de Nutrição Pediátrica do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (HUGG) da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. A população foi composta por crianças de 2 a 10 anos incompletos e adolescentes de 10 a 19 anos atendidos no ambulatório da referida instituição no período de março de 1997 a março de 2013.
 
A fonte de obtenção de dados foi um banco pré-existente contendo informações padronizadas de primeira consulta, sendo discriminadas informações quanto ao modo de ingresso, idade, sexo, escolaridade materna, local de moradia, peso, estatura, IMC, circunferência de cintura, pressão arterial, perfil lipídico, peso ao nascer, idade gestacional, aleitamento materno, prática de atividade física e histórico familiar de doenças e fatores de risco em parentes de primeiro e segundo grau.
 
A história familiar foi registrada considerando a presença ou ausência de parentes de 1º e/ou 2º grau com as seguintes enfermidades: hipertensão arterial, dislipidemia, infarto agudo do miocárdio, acidente vascular encefálico, outras cardiopatias, obesidade e diabetes mellitus. Para isso, considerou-se como ‘parentes de 1º grau’ mãe e/ou pai e/ou irmão(s) e ‘parentes de 2º grau’ sendo avó(s) maternos e/ou paternos.
 
Quanto aos resultados observados, Isabela destacou que ao considerar a história familiar de obesidade, o aumento no número de parentes com a condição determinou um maior risco estimado de excesso de peso nas crianças e adolescentes, especialmente ao considerar a história familiar em parentes de primeiro grau. Com isso, o estudo possibilitou concluir que há uma influência independente entre história familiar de obesidade e dislipidemia e a presença de alterações similares na geração de crianças e adolescentes.
 
Isabela dos Santos Souza é graduada em nutrição pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio). Sua dissertação de mestrado acadêmico em Saúde Pública e Meio Ambiente, intitulada História familiar para fatores de risco cardiovascular e perfil lipídico e antropométrico em crianças e adolescentes: estudo transversal em unidade ambulatorial do Rio de Janeiro, foi apresentada na ENSP no dia 25/7, sob orientação da professora Rosalina Jorge Koifman.

Ceensp debate gestão nas inovações em saúde


Está marcado, para o dia 6 de agosto, mais um encontro do Centro de Estudos da ENSP Miguel Murat, com o tema Abordagens complementares em gestão e avaliação do conhecimento nas inovações em saúde. A atividade terá como expositores Jorge Lima de Magalhães, do Núcleo de Inovação Tecnológica de Farmanguinhos/Fiocruz, e de Zulmira Hartz, do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa. O Ceensp, marcado para às 13h30, no salão internacional da Escola, é aberto a todos os interessados e não necessita de inscrição prévia.

O Centro de Estudos será coordenado pela vice-diretora de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da ENSP/Fiocruz, Sheila Mendonça de Souza.

Centro de Estudos em 2014

O Centro de Estudos Miguel Murat da ENSP (Ceensp) é um importante espaço de atualização científica, com a troca permanente de experiências e conhecimentos entre pesquisadores de instituições do Brasil e de vários países, que vêm à Escola para debates com pesquisadores, alunos e demais interessados em contribuir com os diversos temas da saúde pública. O objetivo é apresentar e consolidar reflexões para a realidade de saúde pública e para o sistema de ciência e tecnologia. O Ceensp é um componente estratégico para a formação dos alunos, destinado à circulação de ideias e de diálogo com os diversos setores da saúde pública. Acesse os eventos anteriores aqui.

Em 2014, foram quatro encontros realizados, além de uma solenidade homenageando o pesquisador falecido da Escola Miguel Murat. A primeira atividade, realizada em 26 de março, debateu a Formação profissional em saúde no Brasil: impasses e perspectivas, tendo como palestrantes o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, o professor da UFBA Naomar de Almeida Filho e o professor da Uerj Ruben Araujo de Mattos.

segundo Ceensp, em 9 de abril, abordou Saúde da Mulher: aspectos da vacinação contra o HPV no Brasil. Participaram a professora do Instituto de Medicina Social da UERJ, Gulnar Azevedo e Silva, e a coordenadora substituta do Programa Nacional de Imunizações da Secretaria de Vigilância Sanitária, Ana Goretti Kalume Maranhão. O terceiro encontro teve como tema O controle social e a importância do nexo coletivo para a saúde do trabalhador, reunindo Heleno Corrêa Filho, professor da Unicamp, Antônio de Marco Rasteiro, coordenador-geral da Associação dos trabalhadores expostos a substâncias químicas, e Glória Nozella Lima, representante do Sindicato de Químicos Unificados, regional de Campinas. Cigarro eletrônico: um desafio para a saúde pública foi o assunto da quarta atividade do Ceensp, com exposições da secretária executiva da Comissão Nacional para Implementação da Convenção-Quadro para o Controle de Tabaco e seus Protocolos (Conicq), Tânia Cavalcante, e do especialista em regulação e vigilância sanitária da Anvisa, André Luiz Oliveira. Trabalho em saúde: políticas públicas, desigualdade e relações de trabalho foi o tema do quinto encontro, tendo como expositoras a chefe do Departamento de Sociologia da Universidade do Minho (Portugal), Ana Paula Marques; a vice-diretora do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães (Fiocruz-PE), Kátia Medeiros; e a diretora do Instituto de Saúde Coletiva da UFBA, Isabela Cardoso Pinto.

Em 26 de março, a Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca homenageou um de seus pesquisadores já falecidos: Miguel Murat. A Direção da Escola descerrou uma placa dando o nome do professor ao Ceensp, que passou a se chamar Centro de Estudos Miguel Murat Vasconcellos. A homenagem foi a forma encontrada pela instituição por conta da dedicação do pesquisador em fazer da Ciência e do Ensino espaços de defesa do direito universal à Saúde e ao Conhecimento.

Formação de Preços de Energia no Brasil


O Curso de Formação de Preços de Energia no Brasil faz parte do Núcleo de Mercados de Eletricidade do CTEE - Centro de Treinamento e Estudos em Energia, uma unidade de negócio do Grupo CanalEnergia, e tem como objetivo fornecer aos participantes uma completa visão da formação dos preços de energia de curto prazo, nos mercados livres e da tarifa de energia nas distribuidoras.
Estas informações são fundamentais para a compreensão clara e objetiva das oportunidades e riscos, viabilização de negócios realizados nos ambientes regulados e livres, tomada de decisão em contratação, comercialização e gerência de riscos de geradores, consumidores e comercializadores de energia.
Realizado em turmas com no máximo 30 alunos, o curso é composto por três módulos - cada um com 8 horas de duração – em dias consecutivos. Os módulos foram estruturados de maneira independente e contam também com a apresentação de estudos de casos práticos a partir de dados do Setor Elétrico Brasileiro.

Casa da FEB qui 07 ago 2014 as 14h 1ª. Guerra Mundial – 100 Anos Capitão de Longo Curso Francisco GONDAR

III Ciclo de Encontros FEBianos
23º. Encontro FEBiano
 
Palestra: 1ª. Guerra Mundial – 100 Anos
 
Capitão de Longo Curso Francisco GONDAR
Vice-Presidente do Centro de Capitães da Marinha Mercante
 
Quinta-feira 07 agosto 2014 – 14h
 
Rua das Marrecas 35 - Centro – Rio de Janeiro
 
Traje: Esporte        Militares: O Correspondente
 
Confirmações:
2532-1933 /2262-3609 ter/qui 13-17h
 

“Conspira contra a própria grandeza, o povo que não cultiva seus feitos heroicos”

FLEXIBILIDADE DE DIREITOS AUTORAIS EM PAUTA NO CAFÉ COM CONHECIMENTO

Exibindo Café com Conhecimento - Copyright e Copyleft.png


 
O copyright ou “todos os direitos reservados” é a licença padrão do direito de propriedade, representada pelo símbolo ©. Trata-se de uma proteção aos conteúdos da criação individual ou coletiva, que impede a reprodução parcial ou total de qualquer obra sem autorização prévia do autor ou da empresa que o representa.
Na era dos compartilhamentos, das criações derivadas e coletivas e das trocas facilitadas pela cultura digital, surge uma nova e subversiva interpretação do direito autoral, o chamado Copyleft, que reserva os direitos de autoria mas defende a flexibilização destes a fim de permitir novas adaptações e criações a partir da obra original. Neste cenário, a questão dos velhos e novos formatos do direito de propriedade está distante de qualquer consenso e suscita discussões.

Para debater o tema, o Café com Conhecimento do próximo sábado, 2 de agosto, conta com a presença do professor Alemar Rena, pesquisador das novas mídias, linguagens e políticas do comum, dentro e fora da cibercultura, e autor do livro Do autor tradicional ao agenciador cibernético: do biopoder à biopotência. Na ocasião, o convidado fará também um relançamento da obra.
O Café acontece às 11h, na cafeteria do Espaço do Conhecimento UFMG. O debate é aberto ao público e integra a programação da mostra O Comum e as Cidades, em cartaz até 3 de agosto.

A existência de plataformas livres como o Linux e portais colaborativos como a Wikipedia é de conhecimento geral, bem como o aperfeiçoamento de softwares e informações através de processos de construção coletiva.
Os conteúdos, ferramentas e tecnologias resultantes dessas e outras práticas inventivas estão cada vez mais presentes em nosso cotidiano, o que acarreta uma série de problemas no que diz respeito ao tradicional sistema de direitos autorais.

De acordo com Alemar Rena, o conceito de propriedade intelectual, surgido nos dois últimos séculos, favorece empresas e autores ao restringir e eventualmente cobrar pela circulação de obras artísticas ou científicas, mas dificulta as criações derivadas e o compartilhamento livre das obras. A discussão sobre a propriedade intelectual é complexa e repleta de nuances.

Ele explica, ainda, que há quem advogue a favor do copyright como uma proteção necessária ao autor e há, do outro lado, quem apoie a flexibilização dos direitos autorais por meio de propostas como o Copyleft e o Creative Commons, apontando para formas de fortalecer a riqueza e a diversidade cultural.

“O importante é refletirmos sobre quem se beneficia com a propriedade sobre as obras. Em grande parte das situações a maior beneficiada é a própria indústria, que atua com foco nos interesses privados em detrimento da riqueza simbólica coletiva”, pontua.
  
O professor acrescenta que entre as várias alternativas a essa realidade estaria um modelo em que, mesmo preservando os direitos autorais, as criações poderiam ser compartilhadas livremente e estariam abertas à reapropriação por terceiros.

“É uma lógica que não contribuiria apenas para a produção de bens simbólicos fechados, mas também para uma riqueza comum e aberta aos reúsos pelo corpo coletivo. A produção simbólica e cultural extrapolaria as esferas privada ou estatal, pertencendo, pelo menos em alguma medida, a ninguém e a todos ao mesmo tempo. Veja como exemplo a linguagem, que é um bem comum que não pode ser apropriado na maior parte do tempo. Posso criar uma palavra, uma gíria, uma expressão nova, mas não posso registrá-la em uma agência de Estado, restringindo seu uso cotidiano”, explica.

Alemar Rena acredita que a mesma lógica de compartilhamento deveria se aplicar aos materiais simbólicos com os quais estamos em contato diariamente, defendendo o potencial criativo da prática. “Creio que não se trata de acabar com o direito de propriedade sobre criações imateriais, mas flexibilizar os contextos em que as obras do intelecto podem ser livremente duplicadas e passadas adiante, ou ainda servirem de material parcial para a construção de novos trabalhos. Pense no sample, na música. Um pequeno fragmento de um sucesso, como uma frase cantada, uma levada de bateria, uma linha de baixo, pode servir ao músico como ponto de partida para a criação de outra obra. Ou, na literatura, passagens de um livro podem oferecer material para uma nova narrativa. Tudo isso já acontece em escala global, hoje com o computador e a internet; o que precisamos é debater, enquanto sociedade, quais os caminhos que desejamos dar a essa força sem termos que criminalizar as pessoas por isso", conclui.

Os Cafés do Espaço
Com o intuito de gerar um ambiente de encontro e intercâmbio de informações, o Espaço do Conhecimento UFMG promove atividades aos sábados em seu café, sempre no final da manhã, às 11 horas. O Café Controverso tem a participação de dois convidados com pontos de vista distintos sobre a temática discutida. Já o Café com Conhecimento é a oportunidade de conhecer e conversar mais sobre um determinado assunto, a partir da contribuição de uma pessoa especializada na questão. Em ambos, o público tem um papel fundamental para a dinâmica das discussões, uma vez que não atua somente como ouvinte, mas como participante ativo.

O Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes através da utilização de recursos museais. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas e debates. Fruto da parceria entre a operadora TIM e a UFMG, o Espaço conta com o apoio da Rede de Museus e Espaços de Ciências e Cultura da UFMG.

Serviço:
Café com Conhecimento: Copyright e Copyleft
Data: 2 de agosto, 11h
Local: Espaço do Conhecimento UFMG - Praça da Liberdade, 700
Entrada franca
Mais informações: www.espacodoconhecimento.org.br
Informações para a Imprensa: (31) 3409-8366

Galeria Homegrown presenta: “DCara” por Marcelo Eco

Exibindo FotoHenriqueMadeira_HG_Eco3a.jpg



Marcelo Eco é o homem das “caras”, e não é só maneira de dizer. Caso não esteja ligando o nome à pessoa, há muitas delas estampando os muros da cidade.  Com elas ficou conhecido no Rio, depois em outras cidades do país, e finalmente, deslanchou lá fora, expondo em grandes galerias de arte contemporânea do mundo. Podemos então dizer que é uma sorte ter um artista deste calibre em um lugar bem perto para apreciar. Dia 07 de agosto, quinta, acontece na Galeria Homegrown mais uma exposição de peso!

Não se engane se acha que já viu tudo. Mesmo que o Rio seja uma galeria a céu aberto,  “DCara” trará novos elementos, cores, expressões e fragmentos. “Já venho trabalhado elas há um tempo nas ruas e quando a Homegrown me chamou para fazer a expo, logo pensei em explorar novas superfícies. A relação que as pessoas têm com elas são bem divertidas. Recebo email de mães falando que os filhos colocaram nomes e de pessoas agradecendo por eu ter colocado uma perto do seu trabalho ou casa” afirma Eco.

 E quando dizemos que Marcelo já ganhou o mundo, não é brincadeira. Galerias como  Art Paris, situada no Grand Palais (França), Galeria Adler Paris (França), Galeria LCG (RJ-Madri/Espanha), WSA(Argentina), MAC - Museu de Arte Contemporânea (Niterói, RJ), MAM - Museu de Arte Moderna (RJ) e MuBE - Museu Brasileiro da Escultura (SP) já expuseram obras suas.

A exibição contará com uma tela principal com  1,80x1,50m, cinco em MDF 70x40cm , uma em papel com moldura e duas telas pequenas com textura . Também uma escultura, lançamento de  camiseta com sua estampa pela Puma , mais serigrafias e o já famoso sketchbook.

Biografia
Marcelo Eco faz parte da primeira geração de grafiteiros do Rio de Janeiro. Tem como marca seu personagem de “queixo pontudo” com traços rápidos e longilíneos. É normal encontrar seu personagem em grande parte do Rio de Janeiro, os corpos pelo efeito tridimensional, parecem mergulhar entrando e saindo das paredes. Está acostumado a transitar com fluidez tanto na rua, quanto pelo mundo corporativo, com trabalhos para grandes empresas como a Sony, Brookfield e a Johnny Walker. Realizou trabalhos na Itália, Holanda, França, Espanha, Alemanha, Argentina e Angola. Assina projetos de cenografia para clipes musicais e programas das principais redes de TV no Brasil.- www.marceloeco.com

Serviço:
DCara por Marcelo Eco
Data abertura: 07 de agosto (quinta feira), das 18h às 22h
Período de exposição: 07  a 30 de agosto.
Horário de visitação: segunda a sexta das 10h às 20h, sábado das 12h às 18h
Endereço: Rua Maria Quitéria, 68 – Ipanema – RJ
Telefone: (21) 2513 2160
Entrada Gratuita/ Classificação livre
Assessoria de  imprensa: Julia Ryff – juliaryff@gmail.com

Workshop Seguro Garantia

Conferência: Redescobrindo a humanidade num universo em expansão, por Marcelo Gleiser




Desafios da Gestão Pública no Brasil e nos Estados Unidos

1º Prêmio ACRJ Inovação Institucional, Almoço do Empresário

Cine AVM - A Caça

SOPA DE LETRINHAS em BOTAFOGO

Exibindo 05 convite Bartolomeu.jpg

Agora, em agosto, começamos uma turma em novo horário na Biblioteca Municipal de Botafogo – sempre nas segundas quarta-feiras do mês às 14h. 
Os encontros em Botafogo estão abertos a todos os interessados e são gatuitos.
Em anexo lhes envio o convite do próximo encontro e peço ajuda na divulgação.
Para os que tem Facebook, fica também o convite para curtir a página e acompanhar o que vem acontecendo na SOPA: https://www.facebook.com/

Mesa-redonda: Centenário de nascimento do Acadêmico Evaristo de Moraes Filho



Convite - Ágora Educacional - Palestra Gratuita

Conhecimento. Comece investindo em você.

Palestra Educacional

"Diversificando investimentos: aprenda a investir de acordo com o seu perfil"

Data: 13/08/2014
Horário: 18h
Palestrante: Equipe Ágora
Local: SENAI de Nova Friburgo - Rua Prefeito Eugênio Muller, nº 220 -  Centro
Nova Friburgo - RJ

No dia da palestra traga um amigo!  Inscreva-se » Fique conectado com a Ágora:FacebookLinkedinTwitterYoutubePortal Móvelagorainvest.com.br
Atendimento:Fale com nosso Atendimento Online.Ligue para 4004 8282 (Regiões Metropolitanas) ou 0800 724 8282 (Demais localidades)
Entre em contato por e-mail.
Este e-mail é automático, favor não responder solicitando outras informações ou sugestões relacionadas ao nosso serviço. Para isso, clique aqui, e fale com a nossa Central de Atendimento. Caso não queira receber mais e-mails como este, acesse www.agorainvest.com.br e altere as configurações de recebimento na página de Atendimento > Central de E-mails.

PETROTIC 2014

Fórum Nacional de TIC na Segurança Pública

3º Congresso Brasileiro de CO2

Colóquio na USP | Celso Furtado: pensamento, ação e legado


 
A Faculdade de Direito da USP, do Largo São Francisco, organiza nos próximos dias 7 e 8 de agosto um colóquio em homenagem a Celso Furtado, no ano em que se completam dez anos de seu falecimento. A iniciativa é dos professores Gilberto Bercovici e Alessandro Octaviani, do departamento de Direito Econômico e Economia Política, e enquadra-se no projeto de resgatar a vida e a obra de grandes atores do desenvolvimento brasileiro, como referências para os problemas contemporâneos a serem incorporadas ao pensamento jurídico e ao mundo do direito. Durante o colóquio será lançada a nova edição da “Obra autobiográfica” de Celso Furtado (Companhia das Letras, 2014), organizada por Rosa Freire d’Aguiar. Veja o programa.
 
Local: Largo São Francisco - Sala da Congregação
 
Dia 7 de agosto
 
8:45h - 9h. Abertura
 
José Rogério Cruz e Tucci (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo - Diretor) e
Regis Oliveira (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo)
Coordenação: Alessandro Octaviani (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo)
 
9h – 10h. 
Furtado: retrato biográfico
 
Rosa Freire d’Aguiar (Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento)
Coordenação: Gilberto Bercovici (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo) 
 
10h – 11h. 
Furtado: a navegação venturosa para o longo amanhecer
 
Francisco de Oliveira (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP; colega de Furtado na SUDENE)
Coordenação: Luís Fernando Massonetto (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo)
 
11h – 12h.
Furtado: o Direito Econômico brasileiro e o desafio furtadiano
 
Calixto Salomão Filho (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo), 
Alessandro Octaviani (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo) e 
Gilberto Bercovici (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo) 
Coordenação: Vinícius Carvalho (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo)
 
19h – 20h. 
Furtado: o historiador da economia brasileira
 
Ricardo Bielschowsky (Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro; CEPAL)
Coordenação: Fernando Rugitsky (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo)
 
 
Dia 8 de agosto
 
9h – 11h.
Furtado: o economista brasileiro 
 
Luiz Gonzaga Belluzzo (Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas) 
Luiz Carlos Bresser-Pereira (Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas)
Leda Paulani (Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo)
Coordenação: Ricardo Ruiz (Departamento de Ciências Econômicas da Universidade Federal de Minas Gerais)
 
11h – 12h.
Furtado: as reformas de base e o planejamento
 
Almino Affonso (Ministro do Trabalho do Governo João Goulart)
Coordenação: José Tadeu de Chiara (Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo)
 
 
       Direito e           Subdesenvolvimento: o desafio furtadiano
Apoio:
Centro Acadêmico
XI de Agosto

2º Encontro de Negócios New It Brasil

Um Domingo na Casa de Rui

um domingo na Casa de Rui

Encontro GRUPISA

Café Literário ABRH-RJ: "As Melhores Práticas em Gestão com Pessoas"

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Stanley Kubrick – De Olhos Bem Abertos



O resgate da cinegrafia de Stanley Kubrick, um dos cineastas mais cultuados dos Estados Unidos e do mundo, chega ao Cine Humberto Mauro de 8 a 28 de agosto.

A programação conta com 13 longas-metragens, 3 curtas e o documentário Stanley Kubrick: Imagem de uma vida, de Jan Harlan, todas as sessões com entrada gratuita.

Durante a mostra Stanley Kubrick – De Olhos Bem Abertos, o público poderá conferir clássicos como 2001- Uma odisséia no espaçoLaranja Mecânica e O Iluminado em uma qualidade digital nunca antes exibida em Belo Horizonte.

Um dos destaques é a maratona de 35 horas que abre a mostra, com exibição de todas as obras do cineasta, seguindo o modelo da mostra Hitchcock, realizada no Cine Humberto Mauro no ano passado.

Dia 08 a 28 de Agosto de 2014
A partir de Sexta dia 08 as 14h
Local: Cine Humberto Mauro (Avenida Afonso Pena, 1.537, Centro)
Entrada gratuita
Informações: (31) 3236-7400

“Seminário Brasil, brasis” de julho, o terceiro da série de 2014, debate na ABL o tema “trabalho escravo no Brasil”




O “Seminário Brasil, brasis” de julho, o terceiro da série de 2014, debate na Academia Brasileira de Letras o tema Trabalho escravo no Brasil?.  A coordenação é do AcadêmicoDomício Proença Filho, Secretário-Geral da ABL, e os palestrantes são o Acadêmico e professorMarco Lucchesi, o padre, antropólogo e professor Ricardo Rezende Figueira e o professor e escritor Faustino Teixeira.
O evento está programado para o dia 31 de julho, quinta-feira, às 17h30min, no Teatro R. Magalhães Jr., na Avenida Presidente Wilson 203, Castelo, Rio de Janeiro. Entrada franca.
Serão conferidos certificados de frequência.
Os eventos do “Seminário Brasil, brasis” são transmitidos ao vivo pelo portal da ABL.

BiciRio 2014 vai testar a mobilidade por bicicleta no Dia Mundial Sem Carro





A Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro marcou para os dias 21, 22 e 23 de setembro, no Rio de Janeiro, a realização da quarta edição do Fórum Internacional da Mobilidade por Bicicleta – biciRio 2014, evento realizado através da Secretaria de Meio Ambiente (SMAC), que faz parte do calendário da semana do Dia Mundial Sem Carro, comemorado em todo o planeta.
Em 2014, o biciRio vai testar na prática a mobilidade por bicicleta em Copacabana – bairro que concentra o maior número de viagens de bicicleta por dia em todo o País. O foco das ações e debates da edição deste ano estará no desafio da MOBILIDADE URBANA e da consolidação da POLÍTICA DE INCENTIVO AO USO DE BICICLETAS NAS CIDADES, tendo Copacabana, que acaba de ganhar mais 14 km de ciclofaixas, como pano de fundo. Entre os principais temas em debate durante a agenda técnica, destacam-se os seguintes:
       As novas ciclofaixas de Copacabana
       A experiência das bicicletas de carga (supermercados, courrier / entrega de documentos, farmácias)
       Sistemas integrados de mobilidade (metrô Rio e metrô em SP, barcas no Rio e em Santos, trens etc.)
       A bicicleta como negócio
       Lazer e turismo nas rotas ciclísticas
                Para sentir de perto as novas situações decorrentes da recém ampliada malha de ciclofaixas de Copacabana, o encontro técnico acontecerá no Hotel Mirador (dia 23 de setembro, terça-feira, das 9:00h às 18:00h). A rota ciclística e a visita técnica (dia 22/09) também terão como foco Copacabana, reunindo parceiros, patrocinadores, colaboradores, ciclistas em geral, cicloativistas, representantes de prefeituras brasileiras e governos estaduais, ONGs etc. As inscrições são grátis nos três dias de atividades e serão abertas no dia 1º de agosto, através do site www.bicirio.com.br.
Desde a sua primeira edição, o Fórum vem atuando como um importante instrumento de incentivo à participação popular na formulação de Políticas Públicas para o setor de transportes, em especial no incentivo ao uso da bicicleta como modal de Transporte, envolvendo participantes de todo o Brasil e palestrantes nacionais e internacionais, com apoio de diversas secretarias municipais e estaduais, empresas e concessionárias de transportes da Cidade e do Estado do Rio de Janeiro, como Metrô, Supervia, Barcas e Fetranspor.
                O biciRio é parte das iniciativas oficiais da Semana do Trânsito e do Dia Mundial Sem Carro e contempla também o tradicional passeio ciclístico, que abrirá o evento no dia 21 de setembro, no parque do Aterro do Flamengo, 8:00h da manhã
A presença de ciclistas de todas as idades,, ONGs, empresas, representantes de órgãos de governo e cidadãos amigos da bicicleta ou que usam a magrela para trabalhar é fundamental para enriquecer o debate e difundir as experiências existentes.

Seminário " Cartografias Políticas da América Latina"



A Casa da América Latina
Convida: Seminário " Cartografias Políticas da América Latina"




Cartografias políticas da América Latina.

Organização: André Queiroz (UFF).



Realização: Instituto de Artes e Comunicação Social/UFF e Casa da América Latina



Apoio e Local: Centro Cultural Justiça Federal  -Av. Rio Branco, 241-
Cinelândia- Rio de Janeiro

Dias: 30 e 31 de julho de 2014.





Programação:





Dia 30 de Julho:





16:00: Abertura do evento.



16:15: Exibição do trailer do documentário:

O Povo Que Falta (Direção: André Queiroz e Arthur Moura, Brasil, 2014, 12min)



16:40: Conferência: Cuba, Sendero Luminoso y la violencia revolucionaria

 Luís Popa (diplomata cubano por mais de 20 anos e Professor de
Ciências Políticas da PUC-Perú)



18:00 Exibição do documentário:

Apuntando al corazon (Direção: Claudia Gordillo, Colombia, 2013, 52min).



19:00 Conferência: A política de segurança no Estado de Exceção em Colômbia

Claudia Gordillo (Cineasta e Professora da Pontificia Universidad
Javeriana de Bogotá)





Dia 31 de Julho:





16:00: Conferência: O inescutável: violência e testemunho na população
quechua no Perú.

Ana María Guerrero (Psicanalista. Trabalhou na equipe de saúde mental
com os afetados pela guerra civil no Peru)



17:15: Exibição do documentário:

Paco Urondo (Virna Molina y Ernesto Ardito, Argentina, 2012, 59min).



18:30: Conferência: A palavra definitiva. Escritura e militância na
Argentina dos anos 70 (Walsh, Conti, Urondo).

André Queiroz (Escritor e ensaísta. Professor da Universidade Federal
Fluminense)